Incapazes de latir

  

Uma vez treinados, os cães servem para a guarda da casa e de outros bens de seus donos. São capazes de proteger lojas e fábricas à noite. Ao latir e rosnar, amedrontam ladrões e acordam quem está dormindo, em caso de fogo. Se esses cães perderem a capacidade de latir, já não servem para a guarda.

Por serem responsáveis pela segurança religiosa do povo de Deus, alguns homens e mulheres são vocacionados, preparados e empossados como atalaias, guardas, líderes, pastores, sentinelas ou vigias dos fiéis. Com muita frequência, esses “cães de guarda” dão mau testemunho, cometem escândalo, tornam-se mercenários e abandonam o rebanho, principalmente na longa história de Israel. Há muitas queixas contra eles no Antigo Testamento. Todas muito severas. Uma delas encontra-se em Isaías 56.10: “As sentinelas de Israel estão cegas e não têm conhecimento; todas elas são como cães mudos, incapazes de latir. Deitam-se e sonham; só querem dormir.

Isaías 56.9-12 mostra que esses pastores são incapazes de enxergar o perigo (“não têm conhecimento”), de latir (“são como cães mudos”), de permanecer acordados (“só querem dormir”), de controlar a gula (“são cães devoradores insaciáveis”), de se submeterem ao Senhor (“todos seguem seu próprio caminho”), de abrir mão dos seus interesses pessoais (“cada um procura vantagem própria”) e incapazes de frear sua decadência (“bebamos nossa dose de bebida fermentada, que amanhã será como hoje, e até muito melhor”).

O que mais impressiona é a denúncia de que são “incapazes de latir”. Tornaram-se cães emudecidos que não sabem, não podem e já não conseguem latir ou ladrar. Então, para que servem? Quando o ladrão se aproxima, quando o lobo ataca o rebanho, eles não ladram. O rebanho fica, dessa forma, perigosamente desprotegido.

A missão de latir não pertence apenas aos pastores. Ela se estende a todos aqueles que têm alguma posição relevante na sociedade e são, portanto, co-responsáveis pela segurança de todos. Entre eles estão os pensadores, os sociólogos, os comunicadores, os professores, os governantes, os legisladores, os psicólogos, os estatísticos, os militares, os juízes etc. Se todos forem incapazes de latir, o caos ético se instalará de forma alarmante, globalizada e irreversível.

O pai e a mãe de crianças e adolescentes têm a obrigação de “latir” em benefício de seus filhos, livrando-os de desperdiçarem a saúde e a vida nos caminhos desastrosos da incredulidade, da secularização, do crime, do álcool e das drogas e da promiscuidade sexual. A qualquer perigo, a qualquer desvio e a qualquer ameaça, o pai e a mãe, em uníssono, precisam emitir aqueles “latidos” que assustam tanto o assaltante como a vítima.

Talvez fosse bom verificar ao nosso redor: os “cães de guarda” que nos rodeiam tornaram-se incapazes de latir? Nós mesmos nos tornamos cães mudos, incapazes de latir?

Fonte : ULTIMATO

Image

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s