Chapolin Colorado e o Salmo 121

Primeiro, se você me conhece desde meados da adolescência, lembrará que Chapolin era uma de minhas séries favoritas da TV. Segundo, se você conhece uma das pessoas que mais admiro nessa vida (Tião), saberá que o Salmo 121 é o seu preferido. Na fusão destas ideias, tem um pano de fundo me dizendo que tudo aquilo que amamos deve estar sempre em plena conexão.

Semelhanças e diferenças

“Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro?”

“Oh, e agora: quem poderá me defender?” 

chapolin

As duas frases acima dispensariam comentários. São muitos os pontos de congruência entre ambas. A sensação é que os personagens de Roberto Gómez Bolaños e a pessoa que escreveu o Salmo 121 pareciam estar na mesma busca.

A diferença aparece logo nas respostas. Se os tantos questionamentos da vida une pessoas por boas temporadas, o encontro de algumas respostas pode distancia-las para sempre. Ser semelhante à outra pessoa não significa ser igual a ela.

“O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra”.

“Eu! O Chapolin Colorado – Não contavam com minha astúcia?”

Em vez de sua segurança vir de um herói engraçado e atrapalhado, o refúgio do salmista, estava no Deus criador de tudo que existe. Esse também é um “cântico de degraus” ou um “cântico para a romagem” (shîr lamm‘alôt). Este salmo parece colocá-los no momento da saída de seus lares a fim de seguir sua jornada até Jerusalém. De certo modo, esse era um momento alegre, mas também representava uma ocasião de preocupação e aflição, pois aquelas pessoas teriam de deixar seus lares desprotegidos e suas preciosas famílias, além do seu patrimônio e realizarem longas viagens. O perigo de sair de casa não era somente para quem ficava, mas também para os que viajavam.

Nisto, o salmista busca proteção no Senhor e põe nele sua confiança desde sua saída até seu retorno (v.7), atravessando os muitos perigos da sua jornada “morro acima” até Jerusalém (v.1). Não é sem motivo que Deus é chamado várias vezes de “guarda” ou “protetor” (shomer).

Em quem será que temos confiado?

Em uma cultura individualista como a nossa, onde impera a faceta da “Lei do mais forte”, a identidade está diretamente ligada às habilidades e conquistas, fazendo muita gente achar que possui o poder do martelo do Thor, quando na verdade, carregam a marreta biônica do Chapolin Colorado – (comprando na barraca da feira ou na loja da Rua 25 de março).

Timothy Keller, em seu livro “Deuses Falsos”, descreve com muita propriedade:

“O coração do homem toma coisas boas, como uma carreira de sucesso, um amor, os bens materiais, e até a família, e faz delas seus bens últimos. Nosso coração as diviniza como se fossem o centro de nossa vida, porque achamos que podem nos dar significado e proteção, segurança e satisfação, se a alcançarmos.

Um deus falso é qualquer coisa que seja tão central e essencial em sua vida que, caso você a perca, achará difícil continuar vivendo.

A única forma de nos libertarmos da influência destrutiva dos deuses falsos é nos voltarmos para o verdadeiro Deus”.

Que nossa confiança não esteja em martelos nem em marretas biônicas, nem em coisa alguma: segurança, poder, “status quo”, beleza, ética, ideologia, dinheiro.

E que assim seja em nossas vida.

Oh, e agora? A quem pedir por socorro?

Deixe o bom e velho seriado mexicano para aqueles momentos de entretenimento. Agora, quando forem falar com Deus:

“É assim que eu quero que vocês façam: encontrem um local tranquilo e isolado, de modo que não sejam tentados a interpretar diante de Deus. Apenas fiquem lá, tão simples e honestamente quanto conseguirem. Desse modo, o centro da atenção será Deus, não vocês, e vocês começaram a perceber sua graça”. – (Palavras de Jesus, no evangelho de Mateus 6.6, versão “A Mensagem”).

____________________

Vinnícius Almeida , 25 anos, Assistente Social e publica no blog Caminhada Figurada

Acompanhe o Fazedores de Histórias também nas redes sociais:

Twitter @fazhistorias 

Facebook Fazedores de Histórias

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s